Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Viver sem amor

Explica-me onde tudo terminou. Não sei se foi uma atitude ou uma palavra que nos fez desacreditar na nossa capacidade de amar.

As palavras de sentimento ficam distorcidas no eco de um coração vazio. O carinho passou a ser só mais um toque na nossa pele. As emoções desapareceram dando lugar ao silêncio, aos olhares frios, distantes.

Tentámos ser indiferentes na presença um do outro, por dentro estamos em pedaços. Sofremos a pensar nos desfechos, algo nos faz andar para trás e não lutar. Perdemos a confiança na nossa união, já não conseguimos imaginar futuros.

No final do dia ao abrir a porta o coração bate mais rápido. Paira a incerteza se um de nós estará lá dentro.

Quem vai desistir?

Quem não vai mais aguentar viver sem amor?

Acreditamos que podemos seguir com vidas independentes, mas estamos a ser comodistas e egoístas. Foram longos anos lado a lado que parecem já não valer de nada.

Ficou tudo perdido no tempo.

Encostamos o peito um ao outro na esperança que volte a aquecer estes corações frios. Respiramos fundo, mas não damos a parte fraca.

Estamos indecisos entre sentimentos e bom senso.

Não conseguimos viver um sem o outro. Mas também não conseguimos viver sem amor.

Vivemos sempre com a esperança que um de nós supere o medo. Amanhã tudo irá ser diferente.

Se houver amanhã.

 

art-close-up-color-204993.jpg

  Foto de: Flash Bros

1 comentário

Comentar post