Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Vivam! Vivam como eu tento viver...feliz!

O calor humano que se sente é incrível!

Milhares de corações aos pulos com promessas sempre muito semelhantes aos de todos.

O barulho é imenso e eufórico.

Em cada pessoa, em cada olhar vê-se histórias vividas durante o ano que está a acabar.

Uns  colocam o olhar no céu e agradecem por, finalmente, o ano estar a terminar, como se o novo ano apagasse tudo o que viveram e que nos próximos 365 dias tudo será diferente.

A cidade, aos poucos, perde a luz, tornando o ambiente mais romântico e encantador.

Começam as badaladas e, como é tradição, tento mentalizar-me de algumas promessas.

Primeira badalada: Prometo ser um homem do Bem (Não sei porque o prometo, já que nunca  deixei de o ser.).

Segunda badalada: Prometo fazer mais exercício físico (Não sei porque o prometo, pois correr cansa-me.)

Terceira badalada: Tento prometer alguma coisa que faça sentido.

Quarta ou quinta badalada: Perdi-me já na contagem e  no meu ser.

As badaladas continuam e eu desisto de qualquer promessa, desisto de ser o que os outros querem que eu seja.

Também hoje, o céu foi pintado naquela tela negra que habitualmente é a nossa companheira nas noites de solidão. Mas há um pormenor... As estrelas parecem sorrir naquele pedacinho de luz, mesmo em frente a elas.

Perco a noção com que pé entrei, mas também não sei se isso fará muita diferença...

Olho para a tua mão agarrada à minha e olhamo-nos nos olhos.

Choramos. Não por tristeza, mas sim porque, contra todas as adversidades da vida, ainda estamos aqui, a abandonar mais um passado.

De peito aberto para o que der e vier, porque somos assim, não temos medo do destino.

Perdi a noção se o número de passas estava correto com toda aquela emoção que estava a viver.

Naquele momento, só tinha certeza de uma única promessa. Tive a certeza que te amava muito e era contigo que desejava passar mais 365 dias a lutar.

Porque tu, tu és um dos meus anjinhos na Terra.

Vivam! Vivam como eu tento viver...feliz!

Um inspirador 2019 para todos!

 

49594181_355568508593528_5844387721673441280_n.jpg