Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Quero-vos aqui, ao pé de mim

Sorrio sempre, com medo de voltar a chorar.

Choro sempre, com medo de não voltar a sorrir.

Amo, com o receio de perder.

Se perdi, tenho sempre o receio de não voltar a amar.

Assusta-me ficar sozinho nesta solidão, numa solidão sem fim.

Orgulho-me de cada queda, mas ergo-me e volto a reconstruir tudo por mim.

Tenho medo da falta do abraço de uma pessoa amada.

Acredito que consiga superar isso tudo, nem que seja com a minha almofada.

Assusta-me uma partida, a minha partida...

Mas continuamos a seguir a nossa missão, quando alguém já terminou a sua e partiu para outra vida.

Quero brincar,  sorrir e pular. Adorava voltar a ser criança.

O tempo passou e, com ele,  levou parte das nossas ilusões e esperança.

Acabamos com uma inocência perdida.

Crescer e ser adulto também faz parte da vida.

Tenho receio de ficar longe da minha família, mas também perto o suficiente para não ser intrometida.

Gosto do carinho e a gratidão. Mas tenho medo de subitamente ficar sem chão. Quero-vos aqui, ao pé de mim, sempre com a ligeira distancia.

Mas não muito longe, no diálogo existe sempre a concordância.

Amo-me e odeio-me nestes devaneios que parecem não ter fim.

Mas, convosco ao meu lado, eu sei que irão ser sempre o melhor para mim.

 

backlit-dawn-dusk-862848.jpg

Foto de: Dennis Magati

1 comentário

Comentar post