Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Contigo descobri o céu

Não tive  tempo de te dizer o quanto gostava de ti. Não tive coragem para te dizer o quanto te amava.

Vivia na escuridão até te conhecer. Nunca soube o que era o amor até me apaixonar por ti.

Um dia consegui libertar as asas e tu ensinaste-me a voar.

No meio do temporal foste o meu sol. Voei sobe o arco-íris que criaste.

Eras parte de mim sem eu me aperceber. Foste sereno no teu entrar, agiste de uma maneira sublime que era tão tua.

Despertaste-me todos os sentidos, todas a emoções que nunca antes tivera sentido.

Sonhava com noites a teu lado.  

Não tinha medo do amor. Tinha medo de te perder e voltar a reviver tudo o que em outrora me atirou ao chão.

Sempre fizeste de mim mais mas sempre me senti menos.

Eras bem mais que um amigo.

Tu fazias-me sentir especial.

Era controverso o sentimento que sentia, sendo eu nada dada ao amor. Só queria o melhor para ti e dei-te o melhor de mim como resposta.

Era só teu reflexo.

Voávamos juntos mas um dia quiseste voar mais alto. Não te podia acompanhar e deixei-te partir.

Não te consegui impedir.

Hoje fico feliz por te ver feliz. Angustia-me saber que poderia ter sido eu a causa da tua felicidade e nada fiz por isso.

Subo às nuvens e vejo-te sorrir.

Em silêncio grito que te amo, onde as únicas testemunhas são as estrelas e a lua.

Serás sempre especial para mim. Contigo descobri o céu.

Todos nascemos com asas mas ainda há quem se recuse a voar.

Eu quis.

Atrapalhei-me.

Mas ainda voo.

 

balloons-clouds-fly-33479.jpg