Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

A folha de papel

É em frente ao mar que encontro a tão necessitada tranquilidade. Sinto os meus problemas demasiado pequenos perante esta imensidão de areal e mar que me rodeia.
Não sei mais o que pensar ou como agir.
Neste espaço sinto-me vazia de tudo o que me atormenta.
Retiro o meu pequeno caderno da mala e sinto a necessidade de te escrever uma última carta.
Quero te dar a conhecer a falta que me fazes. Fazer-me entender que nem sempre estive errada. Éramos os dois.
Quero que percebas nesta carta que eu amei-te mesmo com os teus defeitos.

Que lutei para ser perfeita aos teus olhos.
Vou tentar explicar que não gostava de ser insultada, desvalorizada e humilhada. Parvamente aceitava, porque gostava de ti. Acreditava que um dia irias mudar e tudo iria ser diferente. Mas não.
Nada mudou. Já fazia parte de ti.
Quero-te escrever para te dizer que só queria que me amasses a mim como eu te amava a ti. Mas um dia percebi que deixei viver, por ti.
Nestas linhas quero que entendas que os teus comportamentos e atitudes não são corretos. Desejo que te apercebas a tempo e os mudes.
Por ti, por quem te vai acompanhar.
Ganho coragem.

Abro o caderno e a única coisa que consigo escrever é o teu nome. Marcaste-me muito.
Rasgo-a e amasso com a minha mão transpirada.

Fico a olhar para aquela folha branca amarrotada e arremesso-a.

Fico a ver o teu nome a ondular no mar e afastar-se para o horizonte.
Porque é aí que te quero. Afastado de mim.
Não te desejo o mal. Porque um dia eu amei-te. Só espero que amadureças.
Agora que ganhei coragem e abdiquei do meu comodismo, vou viver.
Perdoa-me por já não te conseguir escrever.
Faz uma boa viagem, nessa folha de papel.

 

beach-dawn-depth-of-field-1139541.jpg

 Foto de: Pixabay