Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Sinto o teu amor

- Senta-te, preciso de te fazer uma pergunta.
Sentiu-se a tensão.
- O que se passa?
Era evidente a preocupação.
- Senta-te e relaxa por favor.
- Fala comigo. O que tens?
Respirou fundo.
- Consegues sentir o meu amor por ti?
Os olhos arregalaram-se, engoliu em seco e sem tempo para fabricar uma resposta falou.
- Sorrio sozinha quando não estás, só a pensar em ti. Conto todos os minutos só para te poder abraçar, sentir o teu cheiro e ter-te ao pé de mim.
Conversamos sobre o nosso dia enquanto cozinho. De um jeito delicado tocas-me no cabelo e beijas-me. Sinto que a saudade era partilhada contigo.
Jantamos como se fosse o nosso primeiro encontro. Do outro lado da mesa vejo o teu olhar brilhar.
Subitamente saí uma música do baú e dançamos. De olhos fechados os nosso corpos tornam-se só em um.
No meio da neblina de um banho quente confidenciamos os nossos sonhos e os nossos medos.
Respeitamo-nos.
Aconselhamo-nos.
Não somos só um casal que partilha uma casa, uma vida. Somos os melhores amigos.
Deitada no teu braço antes de dormir eu agradeço.
Agradeço por te ter na minha vida.
Se eu consigo sentir o teu amor?
Não.
Eu sinto mais do que isso.
És parte de mim e dei-te uma parte do meu coração.
- Ia só pedir para ir ver o jogo ao estádio com os meus amigos, mas gostei.

Abraça-me.

 

black-and-white-close-up-engagement-17834.jpg