Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Como me fazes falta

Tenho saudades tuas.

Tenho saudade de conversar contigo, tenho saudade de ver a tua cara próxima da minha.

Aguardo por ti a cada noite, ouço-te a chegar. Ilusões.

Sinto o teu toque no meu pescoço.

Esta cama está vazia, volto-me e imagino-te.

«Como estarás?»

Não passas de recordações mas ainda assim consigo te amar. É estranho. Sinto-me estranho.

Não era suposto. Prometemos um ao outro que era até ao fim dos nossos dias. Não estás mais aqui. Quis o destino.

Ergui-me, limpei lágrimas e continuei na minha guerra. Conquistei territórios e ganhei batalhas. Orgulho-me.

Pudesse eu ter-te ao meu lado para o presenciares, mas não estás mais. Estás longe.

Não te ouço, não te consigo ver, espero sempre que me ouças. Imploro-te.

É custoso viver sem te ter ao pé de mim mas mesmo assim eu continuo. Faço-o por mim, a pensar em ti. Sei que não irias reconhecer esta parte guerreira que há em mim, eu também desconhecia a sua existência.

Os dias são longos e vazios. Tento preencher com histórias em papel. Vivo o amor dos outros, sinto-me apaixonado.

Nada compensa a tua ausência. Nada do que faço te consegue substituir. Penso em ti a cada instante, recordo as nossas vivências a cada segundo.

Como me fazes falta.

Sente-me, compreende-me.

Abraça-me neste pôr-do-sol. Tenho muitas saudades tuas.

Aguardo por ti na imensidão do meu silêncio.

Deita-te ao meu lado.

Peço-te.

Não faças barulho.

 

blur-blurred-background-couple-691045.jpg

Foto de: Leah Kelley