Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Diário do "bipolar"

"Diário do amor, em parcelas escritas de lágrimas, silêncios e ânsias. O tempo igual ao de todos, pincelado de saudade e esperança. A luz que surge no caminho. Viver. Cair e levantar. Em cada dia."

Chamam-lhe destino

O céu está limpo, vemos as estrelas e contamos histórias sentados no enorme rochedo.

Agradecemos ao destino por nos ter cruzado.

Não existem relógios, não marcámos o tempo. Tu e eu num paraíso imaginário.

Aconchegamo-nos, faz um pouco de frio.

Até com o brilho da lua ficas perfeita.

Parece tudo irreal. Custa-me acreditar que te tenho nos meus braços.

Não sei de onde surgiste, não sei como aconteceu. Nada se sabe.

Dizemos vezes sem conta que foi o destino. É a única explicação.

As conversas fluem sem temas pensados. Há química, há compreensão, há cumplicidade.

Não há medos.

Não existe tempo para pensar nos medos contigo ao meu lado.

Agradeço vezes sem conta. Agradeço todo o sofrimento que passei só para te ter esta nesta noite estrelada nos meus braços.

Nada me exiges.

Estou tranquilo, sereno.

Existes. Sempre pensei que não existisses, sempre pensei que não passasse de uma ilusão da minha mente.

Esperamos, soubemos esperar até o mundo nos cruzar.

Não sabemos o amanhã. Mas debaixo deste manto estrelado sei que sou muito feliz contigo.

Chamam de destino a esse salvador.

Eu chamo o teu nome.

 

adult-back-view-black-and-white-935822.jpg

 

Foto de: Vjapratama

1 comentário

Comentar post